Archive Tag:organização

Trabalhando em casa sem enlouquecer

Oi, eu sei que quase não postei esse ano. Foi um baita ano, foi difícil, foi emocionante, eu mudei de domínio e fiquei uns meses sem conseguir acessar o painel do blog (hue) e quando consegui não sabia bem como voltar, mas estamos aqui.

Esse final de ano, por N motivos, estou trabalhando em casa. E estou gostando, para surpresa geral da nação. Não gosto de freelar enquanto trabalho, mas às vezes precisava e era meio estressante. Esse é um dos motivos que sempre me fizeram ter medo de trabalhar em casa. Depois de uma série de eventos, entretanto, tomei essa decisão de ficar aqui por alguns meses e, para tal, me organizei para não surtar e ser um período gostoso.

Eu tenho algumas regras para trabalhar em casa: tenho hora para começar e trabalho no máximo seis horas por dia: não precisa de mais que isso se as seis horas forem focadas. Claro que penso nisso na hora de pegar cliente. Tomo café da manhã e almoço no horário. Tenho tempos de pausa. Evito trabalhar de final de semana (mas feriado ainda tá sendo engolido…). É um processo e ainda me sinto culpada de não estar trabalhando o tempo todo, mas vamos melhorar isso com o tempo.

Claro que todo o contexto muda de pessoa para pessoa. O que temos aqui são sugestões que funcionam comigo e podem te inspirar a achar o que combina com você:

1 – Orçamentos

Eu sempre fui super ruim de estimar minhas coisas e levantar o valor delas. Eu estava cobrando por hora, mas design é muito relativo e HTML+CSS eu faço muito rápido, e não estava compensando. Agora tenho preços por projetos. Eu faço todo o orçamento de um projeto, com o que ele está contemplando e os valores. Esse orçamento também serve como um tipo de contrato informal. Dessa forma tenho pequenos projetos que vão TERMINAR e me dar um alívio. Não fico mais eternamente com o mesmo cliente, que era uma coisa que me dava desespero antes.

Para fazer um orçamento, respondo:

  • Qual o briefing do cliente? O que ele pediu? Geralmente colo o email que ele me mandou.
  • Qual o projeto? O que exatamente eu vou fazer?
  • Qual o prazo? Quanto tempo vou levar? Sempre adiciono mais tempo pensando que tem outros projetos e nos imprevistos.
  • Qual o preço? E a forma de pagamento? Onde fica acertado o valor.

Eu também escrevo algumas coisas que não serão contempladas no projeto, se necessário, como quando dependo de outras pessoas: “A impressão do folder precisa ser feita em gráfica e não está inclusa nesse orçamento” ou “A programação back-end precisa ser feita por outro profissional”.

O lance é deixar as coisas o mais claro possível e ser sempre transparente. Isso diminui ansiedade, expectativa e dor de cabeça.

2 – Pomodoros

captura-de-tela-2016-11-10-as-10-59-27Não sei se já falei de Pomodoros aqui, mas no twitter eu falo o tempo todo. Sou uma grande fã da técnica, que na verdade foi inventada para estudos, mas funciona super bem no trabalho. É super simples: você trabalha 25 minutos, 100% focado, e descansa 5 minutos. Faz isso quatro vezes, que dá 2h, e aí faz uma pausa maior.

  • Trabalha 25min | Pausa 5min
  • Trabalha 25min | Pausa 5min
  • Trabalha 25min | Pausa 5min
  • Trabalha 25min | Pausa longa (15min+)

Assim eu consigo produzir bastante porque não fico navegando pelas redes sociais. Eu chamo cada grupo de quatro de um pomodoro, então faço três pomodoros por dia (6h), um de manhã e dois à tarde, então minhas grandes pausas são para comer, ver um desenho, algo assim.

Com isso eu consegui orçar melhor as minhas coisas e me manter motivada.

Eu estou usando MacOs (eu fiz um hackintosh, assunto para outro post) então estou usando o app Be Focused, que mostra o cronômetro na barra de tarefas (excelente para certas pessoas ansiosas). Mas outro que eu uso bastante é o Tomato Timer, que é online.  No caso do Be Focused, não preciso marcar nada porque ele já me fala quantos 25min eu já fiz; mas com o Tomato Timer eu marco em um papel quantos foram, senão me perco 😛

3 – Tenha seu canto

Eu tenho a sorte de trabalhar sozinha em casa, mas se você trabalha com mais pessoas talvez seja mais fácil fazê-las entender que você está trabalhando se você se trocar, tiver um canto para trabalhar e tiver uma rotina (talvez não). Mesmo sozinha, essas coisas fazem muita diferença. Eu sei que dez horas eu começo a trabalhar, então nunca levanto tarde, senão me enrola o dia inteiro (os dois pomodoros vão passar do meio-dia, eu vou ficar com fome, vou acabar tarde e não vai dar para cozinhar o jantar, etc).

Tudo com pelo de gato, sim, fazer o que.
Tudo com pelo de gato, sim, fazer o que.

Eu fui arrumando meu canto bem aos poucos e hoje ele está muito confortável. Tenho um notebook no suporte para o monitor ficar da altura certa, um teclado que atende minhas necessidades, uso o trackpad da apple que até então nunca tinha acostumado, mas agora já faço os gestos sem nem notar. Quando faço algo com design, ligo a mesa digitalizadora da Wacom na USB e mando bala. O MacOS tem me servido muito bem e mesmo sendo um hackintosh, não tem travado. Minha mesa está arrumada e organizada, tenho uma cadeira confortável e é como se fosse meu escritório.

Eu troco de roupa principalmente por causa dos deliveries, mas na verdade o ato de tirar o pijama já dá outra motivação pro dia, então tenho feito isso mais vezes.

4 – Você está em casa, mas não é sua prioridade agora

Um erro que cometi quando trabalhei em casa a primeira vez foi ficar a louca da casa. Se estou em casa, TENHO QUE varrer, lavar louça, lavar roupa, passar um pano, meu deus olha essa poeira, etc. Acontece que do mesmo jeito que quando você trabalha fora, trabalhando em casa sua prioridade é trabalhar, e não arrumar a casa.

É claro que faço faxina e mantenho melhor a casa agora, mas precisei deixar um pouquinho senão não ia render. Eu costumo arrumar as coisas mais para o final do dia, quando não estou rendendo mais na programação.

Outra coisa: cozinhar almoço para uma pessoa só é chato, desvantajoso, demorado. Eu comecei a pedir umas marmitas feitas para comer em casa, porque haja dinheiro para comer fora todo dia, mas marmitas de R$10 são mais acessíveis. Adicionei este custo no orçamento. Encontrei um cara que entrega, o que facilita muito a minha vida. Na hora da pausa, eu só almoço. Não preciso fazer comida e quebrar o ciclo de trabalho.

Além disso, apesar de eu gostar de cozinhar, tenho preguiça e como mal. Comprando comida tem mais chances de eu comer melhor.

5 – Movimento!

Eu tenho dois estados de espírito: deprimida ou ansiosa. Ambos podem ser paralizantes. A depressão é mais óbvia: não tem energia para lidar com nada e quando ela ataca, eu respeito. Estou em casa, sabe. Eu posso me dar ao luxo de ir pra cama chorar e trabalhar quando eu estiver bem. Estou em busca desse luxo há anos e não vou desperdiçar agora.

A ansiedade é mais traiçoeira. Ela me enche de energia, mas me enche tanto que eu perco o foco e não consigo fazer nada, porque estou fazendo tudo ao mesmo tempo, nada sai, nada termina e me sinto jogando energia fora. Resultado: fico exausta, desmotivada, em pânico e vou ver desenho.

Tenho um quadro com as tarefas da semana, o calendário da semana e o que precisa ser feito hoje. Cartolina + contact + washi tape + caneta de quadro branco.
Tenho um quadro com as tarefas da semana, o calendário da semana e o que precisa ser feito hoje. Cartolina + contact + washi tape + caneta de quadro branco.

Para lidar com ela, a técnica tem sido escolher poucas prioridades no dia. Na verdade, escolho UMA prioridade. A coisa mais difícil. “Hoje eu vou ligar e marcar médico”. Essa é A coisa que preciso fazer hoje, tudo que vier depois é lucro. E fazendo essa coisa, tenho força para a próxima.

Não se iluda: multi-tarefa é contra-producente, isso é provado. Fazendo uma coisa de cada vez você faz mais coisas. É muito difícil, de fato, mas aliado ao Pomodoro e algum treino, vai ficando mais fácil.

 

Veja bem, eu não GOSTARIA de trabalhar em casa. É uma coisa que está acontecendo, entretanto, e quero que seja gostoso. Não vai durar para sempre, mas está confortável e tem muitas vantagens. Hoje está chovendo e não precisei pegar ônibus. Nos intervalos, fui escrevendo esse texto. Fechei mais alguns orçamentos, que me dão tranquilidade monetária. Estou focada, fazendo e vendo resultado. O que mais eu poderia pedir? 🙂

Como manter agendas e bullet journals

Mais uma vez estamos aqui dando dicas de como continuar usando agendas e bullet journals. Porque começar é fácil: vem toda aquela empolgação de caderno em branco, novinho, canetas novas para usar, inspirações a rodo do Pinterest. Mas aos poucos a vontade vai passando… E você nem lembra mais que tinha uma agenda.

Estou firme e forte na minha agenda esse ano e tenho algumas dicas que podem te ajudar a continuar se organizando:

Tudo no mesmo lugar

Não funciona você ter um caderno com daily tracker, um caderno para sua casa, um caderno para o escritório… Quanto menos lugares você tiver para olhar e manter, melhor.

Eu uso dois cadernos, entretanto: minha agenda semanal e um diário de tópicos. Esse diário não tem nada de organização nele. É apenas um diário de frases que vão acontecendo durante o dia, e anda sempre comigo. Minha vida mesmo está na agenda. Ela comporta meus compromissos do trabalho, de casa e meus próprios, além de todo-lists e outros dados que preciso para completar minhas tarefas (telefones médicos, endereços, códigos de viagens, etc).

Ainda tenho, na mesma agenda, uma folha de daily tracker mensal – que me ajuda a estabelecer novos hábitos e ter um registro de como anda meu corpo e minhas emoções. Sou obrigada a olhar essa folha todos os dias, e assim me lembro de atualizá-la.

IMG_20160520_095641330

Simplifique códigos

É muito lindo ter um código para cada coisa e uma cor para cada coisa, mas na prática isso deveria servir para simplificar e não complicar mais. Como lembrar de todos os 15 códigos que você determinou em janeiro? Na pressa, a gente usa caneta azul e vai com fé.

Uma coisa que funcionou pra mim foi usar um código de cores com marca-texto, que eu posso passar por cima do que escrevi com a primeira caneta que vi pela frente. E, para lembrar do que cada código significa, coloquei na própria caneta uma etiqueta com o significado. Pronto, agenda unificada.

IMG_20160520_095726284

Sempre com você

Ter uma agenda ou caderno e deixar em casa fica bem bonito na estante, mas o mundo real não é assim. Essa agenda é o ponto zero da sua vida. Você tem justamente porque não confia no seu cérebro para lembrar o tempo todo o que você precisa fazer. Portanto ela precisa ir com você para todos os lugares.

Você não precisa, entretanto, levar todas as suas washi-tapes, canetas coloridas, corretivo, etc. A agenda e uma caneta azul são o suficiente. Ela existe para ser usada: você pode enfeitar depois.

Você não precisa de uma agenda nova

Planners são bem legais mas são CAROS. Moleskines são legais mas são caros. Você não precisa entrar em um financiamento para se organizar. Qualquer caderno serve. Eu prefiro os sem pauta ou com pauta quadriculada: tem várias marcas mais acessíveis e de grande qualidade.

A ideia do bullet journal é ser meio que um diário, você ir preenchendo durante os dias que virão. Eu gosto disso para manter um log do que fiz, mas não para me organizar para o futuro. Para isso prefiro um caderno ou agenda com visão semanal. No pinterest é fácil achar várias inspirações para fazer versões semanais de cadernos sem pauta ou com pauta quadriculada.

Se você se dá bem com o mundo digital e não quer gastar árvores, fiz um modelo de bullet journal para planilhas do google. Nele você pode marcar tudo que vai fazer e deixar registrado o que já fez, por abas semanais. No dia-a-dia, o papel me atende melhor.

indice

Não siga regras

Agora pegue tudo que escrevi aqui, guarde em qualquer lugar do seu cérebro e vá fazer as coisas do seu jeito. Cada pessoa tem uma vida, uma forma de se organizar e tarefas diferentes. Procure inspiração, mas não se frustre por não fazer igual. Sua vida, sua agenda, suas regras.

Lembre-se, entretanto, que você é um ser humano. Que você cansa. Cuidado para não colocar coisas DEMAIS numa mesma semana. Prefira a certeza de uma tarefa cumprida que a frustração de uma todo-list longa demais 😉

Teimosinha da Estrela

Pode me chamar de teimosinha da estrela, mas eu insisti na ideia do planner. Depois do peso na consciência de ter gasto R$150 em porcarias (em minha defesa, R$80 foram num set maravilhoso de canetas), fiz o que devia ter feito antes: tentei ver as coisas por outro ângulo.

Percebi que não, eu não precisava de um fichário. Mesmo os menores fichários ainda são grandes e desajeitados, não cabem na bolsa. E eu nem quero carregar todas as contas do mês comigo. Não para de chover nessa cidade e tudo molha. Não faz sentido.

Daí tinha o problema da visão semanal, que realmente ajudava e não queria abrir mão. Em todos os planners bonitos que vi, ela é na vertical. Mas esses planners são A4 né? Eu queria um menor. Aí não cabe, as colunas ficam apertadas demais. Resolvi com os dias na horizontal. Tem espaço suficiente em um caderno A5, uso a semana de segunda a domingo, poucas linhas cada, e sobra espaço para um todo list sem data (que é importante também).

Acabei caindo no Pinterest onde achei umas inspirações bem interessantes, e todas acabavam no Bullet Journal. Tudo que você precisa é um caderno. Pode ser com pautas, quadriculado, pontilhado ou sem nada. Papel é bom. Tem espaço e não tem limitação.

IMG_6457

Na primeira página você coloca os dias do mês com o dia da semana na frente e o que vai acontecer. Depois, os dias da semana. Aí varia: eu gosto de delimitar meus dias da semana, assim eu lembro que eu sou uma pessoa que tem limites e não pode fazer tudo que anota; no método Bullet Journal, eles não delimitam. Vai de você. Faça o teste. Uma semana de um jeito, outra de outro.

Hoje eu marco o dia e o dia da semana e meus afazeres, mais algumas notas do dia-a-dia. Mas gostei muito desse esquema das horas, pode ser útil.

IMG_6458

Com esse caderno só mantive no WunderList as listas de supermercado, porque são compartilhadas com o marido e é o jeito mais fácil. Talvez eu use para o trabalho também, mas no geral eu gosto de me manter organizada em um lugar só. Por isso fiz a aba do Blog também. Coloquei ideias de posts e montei um calendário editorial para novembro e dezembro.

Tô pegando esses dois meses de teste para fazer um planner bem legal em 2016. Esse ano foi uma bagunça e isso me deixa aflita, mas ano que vem vou ter uma visão melhor das coisas. Sinto falta, por exemplo, de uma área de receitas. E uma área de séries, para marcar em qual episódio eu estou. Fatalmente vou precisar cair na agenda financeira também. Pra isso tudo, o caderno quadriculado me ajudaria mais.

Inclusive, a lista de tarefas funciona até hoje. Então é possível manter esse ritmo. O importante é lembrar de manter tudo simples e que a satisfação de manter não é de organizar a lista, mas de cumprir os objetivos.

Encasquetei com Planners

Desde a semana passada, no Relatório de Voo, tô vendo e babando em planners. Elas são agendas turbinadas, onde nas páginas abertas você tem a semana toda e consegue visualizar o que precisa ser feito. Além disso, ainda é uma desculpa excelente para comprar adesivos, canetas e outras coisas lindas.

Só que estamos em fucking setembro e eu fiquei “ah ano que vem vou fazer o melhor planner da década!” mas aí pensei de novo e pra quê esperar? Então resolvi começar um planner. Agora. Em setembro. Porque eu sou ansiosa.

Como ansiosa, minha cabeça não para. Estou sempre fazendo mil coisas ao mesmo tempo, não terminando nada e me frustrando com a sensação que fui dormir sem conseguir viver. Aí fui fazer tratamentos energéticos porque, gente, não é possível uma sagitariana com ascendente em áries (e lua em aquário) estar sempre cansada.

Mas se tem uma coisa que aprendi em 2015 é que se você quer as coisas feitas, você precisa pegar uma coisa e não fazer outra até terminar a tarefa. Porque sempre tem aquele ponto chato da tarefa, aquela hora que você fala “vou só dar um alt-tab mental aqui rapidão” e aí passam horas e você faz outra coisa e não termina nada.

O planner entra aí. Eu estava me organizando com o Wunderlist, que é bem legal e funciona, já que só passo para outra tarefa depois de dar check na que estou fazendo – e sei o que estou fazendo. Mas ele não tem adesivos nem canetas coloridas.

Infelizmente uma coisa que eu não tenho agora é R$420 (juro por Deus) para desembolsar em um planner. Adoraria ter. Tenho? Não tenho. Com esse dinheiro faço supermercado por um mês e bem, até a última vez que chequei, comida > agenda.

(também tem um mais baratinho mas não quero esperar janeiro chegar, como já disse).

O que eu tenho, entretanto, é tempo, alguns trocados, um dedinho bom pro Google e alguma paixão por caderno + régua + canetinha.

O que preciso:

  • fichário pequeno: precisa ser fichário para ter mais liberdade em adicionar e mudar folhas. Precisa ser pequeno porque já odeio andar com bolsa, bolsa grande então não vai rolar, e isso precisa ir de casa pro trabalho.
  • furador de papel
  • tesoura
  • cola bastão
  • canetas coloridas
  • adesivossss!
  • régua pequena

Além disso, preciso imprimir algumas páginas.

  • calendário do ano
  • calendário do mês
  • folhas semanais
  • divisórias
  • to-do list

A pior parte foi o fichário. A segunda pior parte foi a ansiedade para a gráfica entregar as coisas.

ENTÃO EU FIZ TUDO NA MÃO.

mesa

Fui na papelaria e gastei 150 porque comprei canetinhas e cartolinas mas se nos atermos ao básico dá mais ou menos R$50. De importante, comprei o fichário, papel de presente, papel colorido de uma gramatura maior. Encapei bonitinho e adicionei uns adesivos.

Fazer as divisórias foi mais fácil do que imaginava. Cortei a página do papel colorido ao meio, fiz a abinha, grudei com cola.

Fiz o calendário do mês e as páginas da primeira semana.

.
.
.

Aí odiei tudo porque tava de TPM e não devia ter gasto tudo isso de dinheiro e tempo.

Keep calm and try again

Eu resolvi insistir porque quando imprimi uma folhinha só pra testar, já deu totalmente outra cara e achei possível. Além disso, quero guardar no fichário receitas, problemas de casa, pautas para o Diário de Bordo e um diário.

Sim escrevi os dias errados, 1 2 3 4 na página da direita e 5 6 7 na página da esquerda. Aí desisti de vez.
Sim escrevi os dias errados, 1 2 3 4 na página da direita e 5 6 7 na página da esquerda. Aí desisti de vez.

No Etsy tem várias opções dos modelos das páginas para imprimir. Gostei muito desse, da PolkaDot, que tá $10 (na cotação atual, sem brincadeira, R$40).  Mas uma amiga mora na Austrália e vai me dar de presente :3

Além disso tem alguns printables gratuitos que já ajudam a aplacar a ansiedade. Além disso ainda tem vários outros templates gratuitos no Pinterest.

Minha impressora ficou em São Paulo e estou chorando, porque seria muito melhor fazer tudo isso em casa; mas não vai dar, então vou passar na gráfica rápida e esperar um bom serviço.

E… Bem, nessa parte não chegamos ainda. Aviso vocês. Mas a esperança ainda não morreu. #drama

Planilha de afazeres

Então que isso de marido-e-mulher não funciona comigo, não. Somos duas pessoas morando na mesma casa – duas pessoas que se amam e se respeitam, mas ainda duas pessoas. Logo, tarefas domésticas não tem de ficar com um só, não.

Mesmo assim, uns trabalham até mais tarde, outros acordam mais tarde, e a divisão de tarefas não estava muito equilibrada. Aí é injusto. E eu fico irritadíssima.

Para não ser injusta, quis saber quem estava fazendo quais tarefas. Assim, daria pra ver quem tinha mais trabalho. De quebra, a lista de tarefas estaria ali, acessível, para quem fosse pegar fazer.

Ainda, semana passada meus sogros vieram no feriado e não teríamos o sábado de manhã para a faxina. Então coloquei também tarefas de cada cômodo, um por dia, para que no sábado a casa estivesse ok.

tarefas

Passada a primeira semana, tem dado muito certo: a gente sabe o que precisa fazer, quem fez o quê e o que ainda tem para ser feito. Ainda falta arrumar alguns detalhes (vou deixar as tarefas dos cômodos sem marcar dia da semana, para fazermos com mais liberdade, por exemplo), mas por enquanto tem dado certo.

Como você faz para dividir as tarefas na sua casa?

[Rotaroots] Agosto é mês de: BEDA!

Bom hoje já faz um mês desde que o Compulsive mudou de nome, cara e alma para Diário de Bordo (eeeee ) e nossa, acho que nunca postei tanto quanto julho. Teve post de segunda a sexta o mês todinho e algumas categorias começaram a tomar forma, vocês notaram? Toda semana tem um top 5 e uma crônica.

Pelo menos esse ano sim, julho teve mais posts. Que o resto do ano todo. Junto.
Pelo menos esse ano sim, julho teve mais posts. Que o resto do ano todo. Junto.

 

Eu gosto desse tipo de periodicidade: desde a TV (com o Discovery Home & Health com a Segunda da Saúde, Quarta da Beleza, etc, nem lembro mais como era), música (o Spotify tem a playlist Quinta é Quase Sexta por exemplo) ou mesmo em outros sites como no Blog da Lecticia que sexta-feira é o dia sagrado dos links da semana. Eu já entro esperando encontrar isso, e quando eu vejo que está lá fico feliz.

Como blogueira esse tipo de categoria ajuda muito na hora de ter ideias pra posts. Porque em vez de lidar com todo o universo possível de pautas, preciso pensar só em um Top 5. E as crônicas acontecem naturalmente.

Estou falando tudo isso porque acredito que essa reformulação está dando muito certo (as visitas melhoraram sensivelmente e eu estou me divertindo muito), e em time que está ganhando se mexe só um pouquinho para melhorar. Somado a isso, em agosto é mês de BEDA: Blog Every Day August. O desafio é postar todos os dias no mês de agosto.

Adicionar o final de semana fez uma diferença considerável no cronograma e expandir as categorias foi uma estratégia para dar conta de tanto texto. Planejar uma semana é bem diferente de planejar um mês inteiro. Talvez isso fique muito artificial, porque de uma semana para outra já muda tanta coisa… Mas não tem problema, em setembro vamos pensar em outras formas.

Para comemorar tudo isso temos uma nova organização de categorias!

  • Teletransporte: para passear, para comer, para ver. Lugares da vida real que visitei.
  • Cabine de comando: tutoriais, dicas, coisas nessa área de computador e internet.
  • Holodeck: onde ficaram as crônicas. Uma forma mais leve e divertida de retratar o dia-a-dia.
  • Manutenção: SIM VAI TER RECEITAS e outras dicas de como viver sozinha, cuidar de uma nave casa merece atenção.
  • Escritório da capitã: algum assunto polêmico ou difícil de lidar
  • Relatório de voo: um resumão da semana, tanto de coisas minhas quanto coisas legais que vi por aí.

As resenhas e o Top 5 vão ficar dentro dessas próprias categorias.

Só os posts do Diário de Bordo (a partir de julho) estão nessa nova organização. Os anteriores estão em uma categoria “Buraco negro”. Porque boa parte das visitas ainda se deve a esses posts antigos e eu tive de desapegar de todas as minhas coisas físicas para vir de SP para SC, não me peça para desapegar do passado do meu blog!

Espero que você se divirta lendo como eu me divirto escrevendo. Assine o Feed Rss (alguém ainda usa isso?) ou assine os posts por e-mail (na barra lateral), ou me siga no Twitter ou Facebook. Comente. Compartilhe. Divirta-se 🙂

Ferramentas de organização e produtividade

Sou obcecada por organização. Eu adoro organizar, catalogar, documentar códigos e programas… Eu gosto mais do processo de organizar as coisas do que de fazê-las de fato. Já usei diversos métodos de organização e outros montes de programas, já usei post-its, quadros brancos, agendas de papel e tudo que você pode imaginar.

Por isso eu sei que essas dicas não são definitivas nem absolutas. Elas são algumas ferramentas que funcionaram pra mim, aliás: que estão funcionando pra mim há umas duas semanas. Por funcionando, leia-se que com elas não esqueço o que preciso fazer, a ordem que preciso fazer e tenho mais tempo para fazer mais coisas. (basta notar o Diário de Bordo com post todos os dias há duas semanas /o/)

Então vamos lá:

Wunderlist

Estava tudo bem no trabalho enquanto eu tinha um projeto só. A gente usa um gerenciador de tasks, o Taiga, que divide as tarefas por sprints e cria um papelzinho para cada um. Se eu precisasse fazer estava em “to do”, fazendo em “working” e feito em “to test”, onde alguém passaria para “done” ou “to do”, dependendo do resultado. (Essa é minha forma favorita de organização).

Mas aí comecei a trabalhar em diversos projetos fazendo muitas coisas diferentes (hoje faço wireframes, textos, e-mails e front-end) e comecei a me perder. Fora os favores, né, que acontecem. Vi que meu colega tinha um programa de todo-list e era o Wunderlist.

Ele é grátis, ele permite criar diversas listas e mantê-las só com você ou compartilhar com amigos (criei uma “supermercado” e compartilhei com Eduardo, por exemplo), e organizar as listas por grupos. Tem aplicativo para chrome, site e para celular também. É leve e intuitivo.

Com ele organizo o que preciso fazer de freelance, na empresa e as pautas aqui pro blog. Então não importa onde a ideia venha, como estou sempre com o celular por perto, é só adicionar. Tem me ajudado muito a não esquecer tarefas sem data. (para a agenda mesmo, nada supera o Google Calendar para mim).

wunderlist

Toggl

Me mostraram o Toggl como um exemplo do tutorial de introdução dele, mas achei a ideia tão bacana que comecei a usar. Odeio preencher timesheet (como qualquer ser humano), mas o Toggl faz a tarefa de marcar tempo de tarefas simples, intuitiva e ouso dizer: divertida.

Com um sistema gamificado de badges, conforme você usa vai liberando novos achievements. Você pode separar cada tarefa por cliente e categorias (no modo pago, dá para colocar um valor para cada tarefa e ela conta por hora). Depois isso vira gráfico e relatório. Você consegue ver com clareza onde está gastando mais tempo e o que anda fazendo.

A extensão para o Chrome é espetacular. Tem um botãozinho do lado de cada tarefa do Wunderlist, por exemplo: basta clicar e ele começa a contar o tempo com aquele título. Tem do lado de cada tarefa do Taiga, também. E claro, no próprio site.

Conseguir ver por onde meu tempo estava escorrendo me deu controle sobre ele.

toggl

Bônus: Trello

Eu usei bastante o Trello. A ideia é excelente: criar painéis com colunas, e dentro de cada coluna uma tarefa. Ele mesmo dá diversos exemplos de como montar esses painéis.

trello

Nem lembro porque parei de usar  Acho que isso pode acontecer com os outros dois aí em cima, né? Mas vai que alguém acha útil?