Pela família!

Pela família!

Todos os dias é a mesma coisa: vejo na TV uma propaganda eleitoral do Partido Social Cristão parecida com essa, me levanto e vou embora.

O problema é que, na propaganda que eu vejo – que não é essa – mostra que a “família” do PSC é um homem, uma mulher e seus filhos. E eu sinto uma exclusão dos casais homossexuais, porque eu sei que cristãos não são muito chegados na simplicidade do amor gay.

Outra coisa contra a família é o aborto. Não sei se já escrevi sobre aborto no Compulsive mas minha opinião é: eu não faria, mas gostaria de ter a liberdade de fazer. E que as pessoas que fazem tivessem a devida assistência para evitarmos, assim, mortes que acontecem pelos abortos clandestinos.

O Diário Ateísta disse que o principal empecilho para o aborto é a Igreja. Que as pessoas sempre abortaram e vão continuar abortando. Tudo pela família.

Os anticoncepcionais também travaram uma luta grande porque prejudica a família.

As mulheres demoraram décadas para sair para trabalhar (e algumas que saíram, voltaram para casa para cuidar dos filhos, como minha mãe), pela tal da família.

A “família” católica discrimina homossexuais. Prende mulheres em casa. Tira sua liberdade de escolha. Fere e mata quem ousa ir contra seus “princípios”. Tudo para ter um homem, uma mulher e filhos incontáveis que trabalham na lavoura e rezam aos domingos, só fazem sexo após o casamento e vivem um conto de fadas da idade média.

Não sei até que ponto quero manter esse tipo de família. Eu quero uma família onde todos se respeitam. Se dêem as mãos para passar pelas dificuldades. Almocem juntos aos domingos. Se divirtam com os programas na TV. Não importa a orientação sexual. Se houve um aborto. Se os jovens transam com camisinha.

Se uma família desmorona por coisas como essas, vai me desculpar, mas ela era muito fraca e sem amor.

5 comments

  1. Por essas e por muitas outras que a família é a segunda instituição na minha escala de ódio por instituições. As outras duas são, obviamente, a igreja (em honro(ro)so primeiro lugar) e em terceiro, os bancos.

  2. Comecei a achar que depende de nós mesmos. Sei lá, cara, observa sua própria família e vê se a igreja tem alguma culpa no comportamento dela. Eu acho que nem tem.

    • Minha família não sabe da minha orientação sexual graças à sua preconceituosa formação cristã e antiga. Meus pais têm preconceito desde negros até bixas e um machismo velado que dá até raiva. É claro que a minha família não é a mais sólida e cheia de amor que existe, mas essas propagandas querem mostrar que é assim porque eu sou bi e feminista, o que não é verdade.

      • E a minha, que é sólida, cheia de amor e meninas virgens de 30 anos, e mais preconceituosa que não sei o quê? É, eles também não sabem da minha orientação sexual, nem que sou adepta do poliamor.

  3. eu tbm odeio esse tipo de propaganda acho injusto e até deveria ser proibido, pois isso não é censura isto seria cabível de um crime de preconceito!
    e gente, se vc ñ gosta de uma propaganda, por favor, mudem de canal quando ela começar a passar, porque sair da sala não adianta! eles vão ter ibope. eu sempre mudo de canal quando algo absurdo passa na tv, coloco em outro canal ABERTO pro ibope de outro canal aumentar e o deles abaixar. só assim se percebe que o pessoal em casa não está gostando da propaganda. (pelo ibope na hora da propaganda)
    entao, mudem de canal. este é um modo DIRETO de protestar! =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *