O voo. O baque.

O voo. O baque.

A Amazon estava com um concurso de contos aberto até o final do mês passado. A regra era: publicar um conto exclusivo para Kindle com até seis mil caracteres. Resolvi que esse era um marco importante para mim e botei na cabeça que ia participar.

Já participei de concursos antes, mas não rolou (hoje vejo claramente que a história que mandei é cheia de falhas). Hoje tenho mais maturidade para lidar com isso: não espero chegar nem nos 20 finalistas, apesar de ter me esforçado para conseguir o melhor lugar possível. O que valia, aqui, era quebrar esse medo da primeira vez e publicar. um. conto. na. amazon.

Sabe quanto dá uns 6000 caracteres contando espaços? Umas três pra quatro folhas de Arial 12. Não dá pra nada. Sofri horrores. Queria mandar um conto.zip, sabe?

51k0r2jEbIL._SL1000_Não pude usar o primeiro conto que escrevi graças a essa limitação de caracteres (não consegui condensar sem perder muita coisa), nem o segundo (era a história de uma pessoa que não tenho autorização para publicar). Mas eu sentia que precisava fazer alguma coisa. Não queria deixar passar.

Então em uma noite me bateu a inspiração. Mais do que isso: a história quase pediu para ser expurgada do meu coração. Peguei o celular, deitei de bruços e digitei ali mesmo, toda torta e dolorida.

Assim nasceu O voo. O baque.

A história é forte: conta o dia de uma tentativa de suicídio. Portanto, se você tiver gatilhos com esse tema, por favor não compre. Não faça mal para si mesmo. Mas achei importante escrever. Às vezes, naquele ponto, uma coisa que pode ajudar é descobrir que alguém entende.

Eu entendo.

Então, se você puder comprar meu conto na Amazon ele custa só R$1,99 mas até domingo está de graça, então me dê essa forcinha se você não tiver esse gatilho com suicídio. Você não precisa ter um kindle para ler: dá pra usar o computador ou o celular. Ele é forte, mas curto. Depois me diz o que você achou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *