Category Archives:Blog

Bem vindo ao DdB

Não é a primeira nem será a última vez que mudo a linha editorial do blog. Que mudo o blog todo. Mudo esse blog tantas vezes e tenho ele há tanto tempo que os posts com mais de 3 anos precisam de um aviso indicando que mudei de opinião. Mas gosto de manter o histórico. Acho que nossa história faz parte de quem a gente é. E por mais que me envergonhe de algumas opiniões que já expressei aqui, não vou apagar tudo. É muita história pra desapegar.

Porém, chegou mais um daqueles momentos que mudar é preciso. Eu mudei, o blog precisa acompanhar.

Já não tenho tempo para escrever posts grandes. Para esbravejar. Estou em uma fase de textos curtos, meio que sem começo nem fim. Por isso o nome “Diário de Bordo”. Para ser mais frequente, com textos menores, flashs da vida lá fora. Aqui fora. Enfim.

Mais uma vez, o Medium me motivou. Fiz um texto lá porque às vezes eu abro o notepad e escrevo qualquer coisa pelo dia só pra desabafar, e às vezes a coisa não cabe em um tweet ou não cabe no estilo do Facebook. Então publiquei um texto desses soltos lá. E fez muito sentido pra mim.

(“faz sentido” e “é uma provocação que eu trago” são jargões que peguei da firma aqui em Santa Catarina. Jargões que, agora, fazem sentido. Fica a provocação pra ver se serve pra ti).

Eu queria usar mais imagens e mais gifs, mas a verdade é

Pra ser sincera, deve ter outros blogs com esse nome, né? Espero que tudo bem eu ter um também.

No mais, tão empolgada com o tema :3

Enfim. Bem vindos. Vamos lá, juntos, falar bobagem mais uns anos.

Deu saudade de blog

Essa semana eu tava lendo o blog da Lec e um dos posts dela tinha a tag Rotaroots. Fiquei bem curiosa e, quando fui ver, era um esquema de rotatividade de blogs, hahah. Para quem não sabe, antigamente não tinha facebook, o orkut veio depois; a gente tinha salas de bate-papo, ICQ e MSN no máximo e isso era bem focado em pessoas, não em conteúdo. Então os grandes blogueiros da época (e alguns donos de template-shops) faziam isso de banner rotativo: você cadastrava o seu e colocava o “selo” no seu blog. Todos os outros blogueiros faziam igual. Então seu blog aparecia no deles, e o deles no seu, aleatoriamente.

A blogosfera e a internet evoluíram, naturalmente. Nossos blogs pararam de ser sobre nosso dia-a-dia, nosso diário virtual, nossas agendas cheias de clipes e papéis de bala, para falar de coisas sérias. Afinal, com uma quantidade absurda de gente escrevendo, claro que ia se sobressair quem tivesse conteúdo relevante. E a gente amadureceu, também. Claro que o que eu escrevo aqui não é o que eu escrevia no meu blog antigo. (Pagando mico pela nostalgia: http://marta.zip.net/)

(pausa por meia hora porque encontrei um fotolog antigo e fiquei aqui sendo nostálgica).

Enfim.

Houve uma época que tinha esse sentimento de superioridade de mudar a linha editorial do blog para falar de coisas importantes. Confesso que ainda tenho isso com o Medium. Quando vou falar de algo polêmico, profundo, escrevo lá. Como se eu tivesse algum tipo de vergonha de ser, bem, isso que eu sou a maior parte do tempo.

Na verdade, tenho. E não quero continuar tendo.

Nos últimos anos fiz um trabalho intenso de auto-aceitação e amor próprio na parte física. Hoje em dia, mais do que nunca, me acho a maior gata. Anos atrás, quando eu era magra, eu editei minha foto na praia. Esse ano postei com orgulho, me achando verdadeiramente maravilhosa, mesmo consciente que o padrão não é esse – isso só não me aflige mais.

E agora, afim de lidar com as minhas crises diárias de flashs vergonhosos do meu passado, preciso encarar quem eu sou e gostar do que vejo. Acho que tudo bem eu não ser intelectual, madura, adulta, bem-resolvida. Estou com 27 anos e ainda não conheço nenhum adulto que seja. Os que são, ou é uma máscara, ou em sua maioria perdem sua capacidade de se aperfeiçoar, acreditando que já “chegaram lá”.

Eu nunca quero chegar lá.

Então estou… não regredindo, mas assumindo quem nunca deixei de ser. E me divertindo. Porque blog é pra ser divertido, senão não faz muito sentido.

 Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Blogueiragem moleque, de várzea

Foram no meu Facebook me perguntar se eu não postava mais, e eu fiquei ao mesmo tempo feliz pelo carinho e triste por ver que meu último post tem dois meses. O blog já passou por hiatus maiores, mas fazia tempo que não acontecia um tão longo.

O motivo principal foi minha mudança de emprego, do ClickOn para o Estadão, como desenvolvedora web. O projeto em si está bem corrido e a empresa fica mais longe da minha casa. Levo duas horas para ir, duas para voltar.

Também li menos esse mês e joguei muito menos, pelo cansaço e por não passar muito tempo em casa.

Tive de parar o yoga porque não chegava a tempo.

Enfim. Foi um mês de adaptação e correria. Mas não só isso. Não é como se eu tivesse parado de postar porque não estou vivendo mais, hahahaha!

Ando passeando bastante, fui conhecer Mongaguá aqui no litoral sul de São Paulo com minha mãe e irmã.  Antes disso, fui pular carnaval com o Bloco Comunista. Foi a primeira vez na vida que pulei carnaval.

E meus textos polêmicos etc estão aparecendo mais pelo Facebook, mesmo. Então tá tudo bem e tal, só não tem post mesmo hahaha <3

 

Porque deixei o WordPress e porque voltei a ele

Fiquei um tempo postando no roon.io. É um serviço bem legal de blog, é simples e basta chegar e escrever – o que é bem legal. Eu tava cansada da formalidade de postar no WordPress. Decidir categorias, tags, organizar tudo isso, dar respostas de comentários de anos atrás… Então postar no roon foi muito legal. Só tinha alguns probleminhas.

  • Não dava para formatar o tema. O que era até legal, e bonito, mas… sou webdeveloper, isso sempre vai me fazer falta.
  • Não tinha qualquer input por HTML e eu ficava presa às tags de formatação pré-definidas.
  • Não dava para colocar link no meio do texto.
  • E principalmente: os comentários era só uma mention no meu twitter.

A falta de interatividade me fez sentir falta do WordPress. Então achei esse tema bonitão no Elegant Themes, que assinei, e resolvi aproveitar.

Tentei arrumar as categorias mas chega os posts de 2009 já me dá preguiça. Não quero apagar porque é uma memória pessoal importante, acho. Quem sabe vou organizando aos poucos (pffff). Os posts do roon também foram migrados pra cá e apaguei a conta lá, por isso não tem link.

Vamos todos fazer de conta que nada aconteceu e seguir por aqui mesmo 😛 grata!

Dia dos namorados (em outro blog)

Oi.

Esses tempos tenho procurado outras plataformas para blogar. Gosto do WordPress, sou super fã, mas sou igualmente apaixonada por novidades.

Fiz minha conta no Medium, que só tem posts em inglês macarrônico. Meu último post fala sobre a onda de protestos em SP. Espero que você goste.

Hoje eu conheci – e amei – o Roon. É parecido com o Medium em layout, mas não em usabilidade. O Roon não é uma comunidade, é só uma plataforma, então posso postar no bom e velho português. Meu post sobre o dia dos namorados está lá.

Não sei se isso é uma migração oficial. Desculpem por descentralizar meu conteúdo. Eu vou só postar onde me for mais confortável e aviso no Twitter e Facebook.

Compulsive de cara nova

Olá vocês.

A Nina do Padiminas me pediu um banner do Compulsive para colocar no blog dela e eu entrei em desespero. Estávamos aqui sem nenhuma identidade visual, nem que mais ou menos.

Isso de criar não é bem o meu forte (com imagens), então dei uma olhada nos templates por aí e achei esse.

Novidades super legais e empolgantes:

  • Temos um pseudo-logo agora!
  • Nem acredito, mas arrumei todas as categorias. Quer dizer, pode melhorar mais, mas pelo menos está organizado agora.
  • Os blos de amigos voltaram. Esses são os que eu assino o RSS. Se você quiser seu blog ali ou se o seu faltou, me avise.
  • Box de comentários recentes, para que a sua opinião ganhe mais destaque.
  • A nuvem de tags voltou!
  • Buttom para linkage, é claro.

Já vou colocar os buttons das pessoas que eu costumo ver o site, e se elas quiserem colocam o do Compulsive também. Feel free porque não é recíproco: se eu linkei não precisa linkar. Não um me linka que eu te linko, mas avisa, né, que a gente conversa.

Ainda tenho coisas pra arrumar mas tá tarde, né…

Dei um tapinha no Compulsive

ENTÃO né!

Estava eu aqui curtindo minhas vida férias de trabalhar 8h/dia e floodando no Compulsive, toda feliz e contente.

Eu gostava do outro tema, clean, que eu acho que nem cheguei a comentar. Mas eu queria mesmo algo como o meu tumblr. Muito, muito branco. Muito focado no conteúdo. Sem frescura nenhuma.

Até pensei em pedir um orçamento pra Fabiane Lima mas eu tô meio sem grana ultimamente :/ Então fui dar mais uma olhada como quem não quer nada no repositório de temas do WordPress.

Achei o Titan mais parecido com as minhas necessidades. O marrom combina com a temática do Compulsive: é uma cor quente, mas é séria, sóbria. Uma mistura de dois mundos. E a área para posts é grande o suficiente para as imagens de mais de 400px de largura que eu venho usando.

Adorei o tema. Tem várias configurações pré-definidas, como os links do topo, barras laterais adicionais, até uma integração com o flickr no rodapé (que eu achei feio) e espaço para o analytics. Bem legal.

Ainda assim, dei uma personalizada básica: uma imagem no logo, coisa que não se via por aqui há anos, receio. O link do “Me adiciona”, que não tinha, mas eu achei importante. E o mais legal: a imagem lateral, que era fixa, agora são imagens randômicas do meu flickr, as últimas que subi. Clicando, vai pra lá. Consegui graças ao plugin FlickrPress.

Outra coisa importante: THANKS DEVELOPER, os comentários ficam ordenados para quem responde. Putz, tava fazendo muita falta isso. Agora é clicar em responder e ele fica identado, certinho.

Só não gostei da busca no rodapé, acho que vou mudar depois. As fotos com borda e descrição também são um detalhe importante. E preciso traduzir ainda. Fora o twitter, na lateral e uma versão mobile. Mas já era pra eu estar dormindo há duas horas.

Me digam o que acharam 🙂 Eu gosti.

Novo layout, novas frescuras

Ah, eu não ia mas eu preciso dar satisfações sobre o Compulsive.

Como eu fiquei em casa esse fim-de-semana depois de várias festinhas de aniversário, enquanto o freela subia achei um tema legal. Chama “Let’s get drunk” e encontrei no WordPress Themes Creator graças ao blog da Cris, que descobri que existia porque ela fez um link pra cá (obrigada!).

Então mudei o layout, traduzi tudo (me avise se aparecer algo errado), atualizei as páginas, adicionei propaganda e as últimas fotos do flickr.

Quanto à minha promessa de postar mais, bem, deu pra notar que não tá assim tão fácil. Acho que tô perdendo um pouco da mão por falta de prática. Sei lá.

Você que assina o feed RSS deve ter notado umas entradas estranhas. É que na confusão do freela, eu troquei o banco de dados sem querer. Mas agora tá tudo certo.

Como eu abandonei meu Google Reader, fico pensando se sou eu ou as pessoas pararam de ler blogs. Sem paciência, sabe? Mas enfim. Como a maioria das coisas que faço, e chame de egoísmo se quiser, é mais para mim do que para as outras pessoas.

Eu também aguardo ansiosa meu retorno.

Tô de férias do Compulsive

Eu gostaria de escrever, mas não tô no mood. Não ia conseguir escrever nada que não seja influenciado pelo estado emocional atual e o estado não é bom, então, nevermind.

Além disso, tem trabalho puxado e freelas comendo.

See you quando eu melhorar.