A odisseia do gato novo

A odisseia do gato novo

Na foto: Spot e Tops.

Adotar é tudo de bom, mas lembre-se de

  • telar sua casa e não deixar o felino sair. Isso é importante porque mantém o bicho visível, você pode ver como estão as fezes dele e se ele está ficando doente, evita problemas com os vizinhos, evita que ele seja atropelado e muito mais.
  • castrar gatos e cachorros. Isso evita doenças e, claro, que eles se reproduzam.
  • pensar bem antes de tomar a decisão. Gatos são crianças menores. Têm personalidades próprias, são geniosos e podem dar muito trabalho. Adotar é um ato de amor, não de vaidade; seja responsável e nunca devolva seu animal à rua.

Pegar seu primeiro gato é muito empolgante. Você imagina que as coisas vão ser como no Tumblr: ele vai fazer umas gracinhas e enroscar nas suas pernas, só alegria. Na vida real, já chorei de desespero quando adotei o Spot. Ele quebrava tudo, me atacava, me mordia, arranhava. Eu mal conseguia trocar de roupa. Foi muito frustrante.

As coisas só melhoraram depois que adotei a Mel. Com ela, eles tinham o que fazer, como se entreter, e o Spot parou de me atacar para brincar com ela. Não que ele tenha melhorado 100%. Ele ainda mia de madrugada e me deixa meio desesperada. Mas não me ataca mais.

Quem encontrou o Tops foi a Manu. Ela pegou da rua, castrou e ele estava disponível para adoção. Eduardo ficou enlouquecido porque o gato era igualzinho o Spot e, como era aniversário dele, cedi.

A adaptação da Mel e do Spot foi tranquila. A Mel é muito medrosa, ficou escondida uns dias, depois foi saindo devagar e explorando a casa. Como é fêmea e macho, rolou uns SHHH no começo e depois ficou ok.

Agora tenho dois machos e eles se odeiam. Aqui em casa só tem um quarto, então eu prendo um ou outro e vou alterando durante o dia para que a casa fique com os cheiros de todo mundo, mas meu deus. Não está fácil.

A forma correta de aproximar dois gatos é essa: eles não devem se ver imediatamente. Um deles fica preso em um quarto e, aos poucos, a gente deixa um ver o outro. A melhor hora para o encontro é a refeição e dar petiscos quando os dois estão juntos sempre estimula a associar aquela presença com coisa boa.

Espero que com o tempo essa inimizade aplaque. Mal posso esperar para ter os três dormindo com a gente, aquele bolo gato-humano que só o inverno pode oferecer.

Editado

Me disseram que baunilha pode ajudar a adaptação. Vou tentar e conto no sábado 😉

6 comments

  1. caramba! não sabia dessas coisas de gatos se acostumarem com outros =O
    queria mto um, mas aqui em casa nun rola, noivo tb não curte gatos.

  2. Adorei a sinceridade em falar o seu dia a dia e perrengues que passa com os gatos, e mesmo assim ainda tem muito amor em criar eles <3

    Eu queria muito ter um gatinho, assim como um papagaio, uma tartaruga, peixinhos e até um porquinho. Porque é tudo tão fofinho né? Mas com um cachorro eu já passo poucas e boas e vejo que mal consigo dar conta… a internet é assim, sempre trazendo as coisas lindas e esquecendo as coisinhas difíceis da vida real.

    Abraços

    http://www.hipermetropiafashion.com.br

  3. Eu ia mesmo falar da baunilha.
    Olha, adaptação de machos pode ser muito complicada, principalmente quando eles são castrados depois de adultos, o que, pelo que entendi, foi o caso do Tops.
    Uma dica é, se possível, cortar as pontinhas das unhas dos dois; assim, se rolar um UFC, ao menos as chances de danos aos olhos ficam diminuídas (esse é o maior risco das brigas entre gatos).
    Acho bem possível que a Mel dê uma enquadrada nesses dois. Ela tem esse jeitinho de santa, mas quando precisa sabe colocar as coisas em ordem. Quando estava com os filhotes, botou todo mundo para correr do andar inferior da casa, ficavam só ela e os filhos por lá, kkkkk.
    Boa sorte! Um gatão preto, adulto e de pelo curto com o Tops teria pouquíssimas chances de adoção, vocês fizeram toda a diferença na vida dele. Bj

  4. Amo gatos e cachorros, mas quando se mora de aluguel isso tem que ficar em secreto :/
    A minha paixão maior é por cachorros, e é tão ruim não ter um bichinho em casa seria tão legal ter um filho pet :). Sobre os felinos se estranhando haja paciência né? mas vai dar certo.

  5. Dia desses uma pessoa no face achou uma gatinha e eu fiquei louca pra ir buscá-la, mas infelizmente eu já tive um experiência ruim com adoção de um cachorro , então aquietei meu coração e compartilhei na torcida pra que alguém fosse adotá-la.Sei que quando e tem um animal em casa a vida real é bem diferente das imagens do Pinterest, né? Martinha boa sorte com os felinos e muito amor pra vcs…quem dota animais tem um espaço enorme no meu coração….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *